Mãe Jucilene de Oyá e o Terreiro Casa de Mãe Herondina concorrem ao #PrêmioExu de Música Afro-brasileira.
07/04/2018 - 15h17 em Música

 

"As músicas que vamos apresentar foi um presente da Caboca Mariana", Mãe Jucilene de Oyá conta que “foi ela que chegou e cantou as duas músicas e disse que era um presente pra gente cantar pro mundo, e a gente vai fazer essa prosa, né? Como diz a minha mãe, é uma prosa isso.” e adianta que “pra nós do Terreiro Casa de Mãe Herondina, a participação no #PrêmioExu já é um prêmio, eu digo que é um projeto que a Rádio Exu está proporcionando pra nós, é a primeira vez que nosso terreiro vai participar com essa experiência de apresentar esse presente que Dona Mariana deu pra nós, ela que é uma caboca de luz, que já já trouxe muitas músicas em Guma, muitas músicas pra terra, dá pro terreiro de Mãe Herondina”

Mãe Jucilene Carvalho é a autoridade (sacerdotiza) do Terreiro de Umbanda Casa de Mãe Herondina, militante do movimento negro, produtora cultural e baiana do acarajé.

As músicas "Pena dourada" e "Maresia de Encantaria" serão apresentadas no dia 18 de abril a parttr das 19h - o Festival acontece no Espaço Cultural APOENA, na Av. Duque de Caxias, 450, em Belém/PA.

Foram 26 músicas de 14 compositores vindos de 3 estados da Amazônia Legal, Amapá, Maranhão e Pará, que inscreveram composições com as temáticas da valorização das lutas negras brasileiras e a ancestralidade africana e das encantarias e cabocos afro-brasileiros.

Para nós, da Rádio Exu, esse festival aponta a perspectiva da produção musical de combate ao racismo e da valorização d"o patrimônio artístico e cultural afro-brasileiro e afro-amazônico.

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!